O Workshop Stone utiliza 6 horas para proporcionar aos participantes a aplicação do consagrado conceito de Design Thinking para Gestão de Capitais Humanos. Por meio de um conjunto específico de ferramentas criativas, os participantes são capacitados a promover a alavancagem dos níveis de engajamento e desempenho de suas equipes.

A importância dos Talentos

Buscar tecnologias e métodos para sua empresa não a tornará inovadora e nem mesmo mais competitiva. O que sua empresa tem que nenhuma outra tem? Gente!

Gente produz inovação, máquina não. Nem mesmo inteligência artificial produz inovação, portanto:

O conjunto de mentes que cada empresa possui é único, logo:

Empresas que desejam diferenciação devem tornar o desenvolvimento de pessoas prioridade 1 em suas estratégias, portanto:

Gerar padrões comportamentais criativos para criar rotinas de inovação se torna um imperativo, logo:

Desenvolver, reter e atrair talentos, se torna elemento vital para compor o mapa estratégico de uma empresa.

O Contexto

A tecnologia eliminará o trabalho humano, o esforço físico e parte do esforço intelectual serão delegados às máquinas, restando ao homem o monopólio das atividades criativas. Nesse cenário, como desenvolver a educação criativa nas organizações? Como criar padrões comportamentais criativos para a geração de rotinas de inovação?

Estamos vivendo a ascensão da classe criativa, o empoderamento do sujeito criativo como agente catalisador de mudança nas organizações.

Modelos de negócios que se desenvolveram em uma economia industrial estão expirando devido a incompatibilidade com a era do conhecimento, baseada na nova ordem da economia criativa.

O ciclo do RH como conhecemos chegou ao fim. Os departamentos de Gestão de Pessoas ou de Recursos Humanos nos dias atuais não geram mais suporte para a complexa era do conhecimento, repleta de incertezas e volatilidade.

Assim como toda empresa deveria colocar a experiência de seus clientes no centro da construção de suas estratégias, todo RH deveria transformar a experiência de seus colaboradores. Quanto vale a autonomia criativa de uma equipe?

Mas afinal, o que é Design Thinking?

Design Thinking (DT) é uma abordagem para a inovação centrada no ser humano. O DT possui três pilares, são eles: Empatia, Colaboração e Experimentação, tais pilares levam em consideração três aspectos: Soluções desejáveis (demanda/usuário), Soluções praticáveis (tecnologia/processos) e Soluções viáveis (recursos/negócios).

O DT pode ser adotado em todos os níveis de uma organização para ajudar a construir produtos, processos e sistemas inovadores, e para melhorar a experiência dos clientes (externos e internos).

Os benefícios do Design Thinking

O DT ajuda o gestor na atualização de seu mindset para resolução de problemas ligados à estratégia, cultura, processos e pessoas, eliminando as barreiras existentes e criando um fluxo de valor produtivo, inovador e alinhado aos resultados organizacionais e gerando diferenciais competitivos reais.

Diferenciais competitivos são atributos que tornam um produto, sistema, serviço, experiência ou negócio, superior aos seus concorrentes. São vantagens e benefícios exclusivos proporcionados aos consumidores e percebidos por eles como único. Esse conjunto de qualidades torna a organização única e difícil de ser copiada e é expresso na tríade de valor das organizações (propósito + processo + resultados).

Empresas como Apple, Google, Facebook, Amazon, entre outras que figuram nos rankings internacionais das maiores e mais inovadoras empresas do mundo, foram fundadas com base nos preceitos do Design enquanto mais importante ativo da economia para gerar a inovação sustentada. Em resumo, qualquer CEO comprometido com a sobrevivência de sua organização já descobriu que o Design é importante demais para ficar apenas na mão dos Designers.

Organizações inovadoras combatem a aversão ao erro, criam ambientes favoráveis a cultura de inovação e sabem lidar com talentos, não punindo-os com perseguições veladas, mas tornando-os os grandes disseminadores da colaboração, co-criação e descentralização.

Obviamente, instituições são maiores que indivíduos, contudo, menosprezar talentos individuais cria um potente agente de desestímulo e resulta na abdicação da organização em gerar dinheiro novo por meio de proposições de valores únicos propostos pelos mais talentosos. É fundamental tomar cuidado para que a o trabalho em equipe não leve a anulação do reconhecimento autoral.

A 3M defende que as empresas precisam se adaptar e cultivar algum nível de inovação para não perderem espaço no mercado e não desaparecerem.

O Design Thinking da IBM

Com investimentos superiores a 100 milhões de dólares, a IBM quer transformar a cultura “de engenheiros” que predomina há décadas na companhia para uma cultura com foco no Design. Seus planos não são de apenas implementar o Design Thinking em toda a empresa, mas também se posicionar como referência em inovação. A empresa criou uma premiação chamada IBM Design Thinking Practitioner, uma estratégia da IBM para aplicar o Design Thinking em consonância com as demandas de uma empresa moderna. São 4 níveis de distinções feitas aos Design Thinkers na IBM: O IBM Design Thinking Co Creator, Leader, Coach e Practitioner.

Nível 1: IBM Design Thinking Co Creator: Contribuinte ativo nos processo de Design Thinking dentro da empresa;

Nível 2: IBM Design Thinking Leader:Liderança junto as equipes para a prática do Design Thinking;

Nível 3: IBM Design Thinking Coach: Representa uma liderança avançada capaz de formar lideranças;

Nível 4: IBM Design Thinking Practitioner: Praticante ativo do Design Thinking na empresa, possui total autonomia para implementá-lo na empresa.

O Design Thinking na Mídia

Uma pesquisa feita pela Isma-Brasil apontou que 72% dos brasileiros estão insatisfeitos com seus trabalhos. O número é alto, mas você já pensou em como o Design Thinking pode ser utilizado para mudar essa estatística?

Na matéria da Revista Você S/A de janeiro de 2018, foram abordadas algumas reflexões sobre como o Design Thinking pode ser utilizado para redesenhar carreiras e assim ajudar a pensar em novos cenários para fazer transformações na vida profissional.

A reportagem conversou com os professores da Universidade de Stanford, Bill Burnet e Dave Evans, autores do livro “Designing your life” ou o título disponível em português – O Design da Sua Vida. Para eles, é possível ter uma vida bem projetada quando há um alinhamento entre aquilo que você é, aquivo que você acredita e o que de fato pratica no dia a dia.

Foi a partir dessa observação que eles criaram o curso “Designing your life”, que une as ferramentas visuais do design ao planejamento dos próximos passos da carreira. O curso já atraiu cerca de 3000 alunos para a universidade americana localizada no pólo mundial da inovação – o Vale do Silício – e possui lista de espera.

O Design tem impactado o mundo dos negócios e tornado a criatividade o mais importante ativo da economia para geração de inovação.

Sendo assim, a criação de condições mínimas para o exercício da criatividade é pré-condição para a sobrevivência no mundo dos negócios.


Facilitador