Mentoria não é consultoria, nem coaching. Um programa de Mentoring pode ser considerado uma das atividades mais importantes para transferência de conhecimentos. Diferente do coaching, o mentoring é um processo de transferência de conhecimento e é considerado pelos especialistas como o embrião de um conselho administrativo e de um empresa com governança corporativa.

Um dos principais benefícios de um Programa de Mentoring é a Retenção do conhecimento tácito, seja ele técnico ou institucional. O conhecimento tácito é aquele que não está gravado em registros formais da organização, mas sob domínio de colaboradores que, eventualmente, deixam a organização. Outros importantes benefícios para as empresas são:

Agilidade e qualidade na aprendizagem organizacional;

Manutenção e melhor aproveitamento de talentos;

Desenvolvimento de lideranças;

Ganho de eficiência nos processos de ascensão funcional e de sucessão;

Suporte para processos de mudança de cultura organizacional;

Facilitação do desenvolvimento de uma cultura de diversidade;

Redução de custos com treinamento e desenvolvimento;

Aumento da produtividade;

Funciona como uma estratégia de endomarketing;

Impulsiona a inovação e a criatividade e torna a organização mais competitiva.

Mas do que se trata o Mentoring em Design Estratégico para Executivos? Aquele que se lança ao design está transformando situações existentes em situações preferidas. O Design Estratégico é um agente capaz de promover uma transformação na organização, pois atua diretamente na imagem corporativa e no seu reposicionamento e ressignificação, tornando-a única e difícil de ser copiada.

A Mentoria em Design Estratégico é composta por análise sistêmica do negócio e identificação de oportunidades relacionadas a novos produtos, serviços, sistemas e experiências para promoção da inovação e consequente redução de custos e aumento de valor agregado ao negócio em questão. Trata-se de um programa robusto com 3 níveis de ferramentas para pensar (Design Thinking), para inovar (Design Driven Innovation) e para praticar (Design Doing).

Modelos de negócios que se desenvolveram em uma economia industrial estão expirando devido a incompatibilidade com a era do conhecimento, baseada na nova ordem da economia criativa. A história está repleta de gigantes que desapareceram devido a miopia causada pelo foco em seus produtos, e não em seus negócios.

A 3M defende que as empresas precisam se adaptar e cultivar algum nível de inovação para não perderem espaço no mercado e não desaparecerem. Com investimentos superiores a 100 milhões de dólares, a IBM quer transformar a cultura “de engenheiros” que predomina há décadas na companhia para uma cultura com foco no Design. Seus planos não são de apenas implementar o Design Thinking em toda a empresa, mas também se posicionar como referência em inovação.

O Design Thinking pode ser adotado em todos os níveis de uma organização para ajudar a construir produtos e sistemas inovadores, além de melhorar a experiência dos clientes. O Design tem impactado o mundo dos negócios e tornado a criatividade o mais importante ativo da economia para geração de inovação. Sendo assim, a criação de condições mínimas para o exercício da criatividade é pré-condição para a sobrevivência no mundo dos negócios.

Sempre que uma empresa projeta um novo produto, serviço ou experiência, torna-se essencial desenhar seu modelo de negócio. A vantagem competitiva de amanhã não será baseada na inovação de produtos e processos, mas na inovação em modelos de negócios.

O Design está alinhando as finanças à criatividade com força o bastante para mudar as regras dos investimentos. O Design motiva a inovação, a inovação dá poder à marca, a marca constrói a fidelidade e a fidelidade sustenta os lucros. O Design atua como agente de mudança, produtor de ativos intangíveis, gerador de valores inéditos para as empresas. Não são apenas produtos que são passíveis de serem desenhados, mas também um organograma, uma experiência social ou a performance de uma equipe.

O design pode ser utilizado como um processo de catalisação, sintetização e materialização de conhecimentos e informações em produtos e serviços. O design estratégico materializa-se quando o importante é desenvolver o produto certo – eficácia do processo de design – e não somente desenvolver corretamente o produto – eficiência no processo de design. Entende-se por design estratégico “uma forma de atuação deste profissional direcionada para a gestão do design nas empresas, ou seja, ocupando-se da orientação da política do design, apoiado por análises de fatores internos e externos às empresas, em um nível hierárquico mais alto dentro destas e desde as primeiras fases do desenvolvimento de produtos”. Para tanto, o design deve estar inserido na estratégia empresarial.

Por fim, o Design de Serviços utiliza a abordagem do Design Thinking para projetar serviços. Design de Serviço é uma disciplina que propõe o pensamento estratégico e operacional dos serviços com a visão de quem os utiliza e os provê. Quando você tem duas cafeterias, uma ao lado da outra, e elas vendem exatamente o mesmo café, exatamente ao mesmo preço, Design de Serviços é o que faz você entrar em uma e não na outra.

AS FASES DO PROCESSO:

O processo de Mentoring prevê 15 encontros com duração de uma hora, porém, o número de encontros poderá se estender conforme as necessidades do cliente. O processo acontece através de encontros individuais (Hangout, Skype ou presencial) onde se trabalham as demandas do profissional visando a alavancagem da sua carreira e a construção da sua marca.

Saiba mais sobre Design em nossos e-Books.


Facilitador