Além de combater e eliminar os desperdícios dos processos e serviços desenvolvidos em hospitais, laboratórios, farmácias, clínicas, postos de saúde entre outros, Lean Design Health Care: Inovação em Serviços de Saúde representa um potente programa de consultoria capaz de converter problemas em oportunidades para a inovação. O diferencial desse programa é congregar o que há de melhor e mais consagrado nas metodologias de Lean Manufacturing e Design Thinking.

Ferramentas como Mapa de Fluxo de Valor, Poka Yoke, Kanban, Painel Andon, Gestão por Processo, entre outras provenientes da Engenharia de Produção são formatadas em conjunto com ferramentas como Matriz da Jornada do UsuárioTríade de Proposta de Valor, Business Model Canvas, Mapa da Empatia, Personas, entre outras consagradas em Design Thinking, além de ferramentas utilizadas em gestão corporativa como Matriz de Agentes, Matriz de Macro Cenário, Análise PEST e Plano de Ação 5W2H.

Uma pequena amostra do poder do Design Thinking aplicado aos Serviços em Saúde pode ser conferido na palestra de David Kelley, fundador da maior empresa de Design do mundo, IDEO, situada no Vale do Silício, aos 6 minutos e 20 segundos. Para acessar a palestra, clique aqui.

Quer saber mais sobre aplicações de Design Thinking na Saúde? Confere aqui:

Case 1. Kaiser Permanente: A Kaiser Permanente é um consórcio de saúde da Califórnia que conta com empresas de planos de saúde, hospitais e grupos médicos. A organização recorreu a designs thinkers para desenvolver um novo processo de troca de turno para a equipe de enfermagem de um dos hospitais do grupo, porque percebeu que um dos pontos críticos que levava aos maiores erros eram as interrupções durante o procedimento. Saiba mais aqui.

Case 2. GE Healthcare: O designer Doug Dietz, da GE Healthcare, construiu uma ressonância magnética que o levou a ser indicado a um prêmio de design. Com a repercussão, ele decidiu ir a um hospital para ver a utilização do produto em uso e, ao chegar lá, encontrou crianças aterrorizadas com o uso daquela máquina. Ele voltou para casa para tentar criar um produto melhor, fez um Design Thinking Boot Camp, uma atividade de imersão feita por um grupo de pessoas com o objetivo de resolver um problema real, e, com isso, projetou uma experiência que materializa aplicações em design de produto e design de serviço, gerando resultados quantitativos extremamente significativos para todos os stakeholders e qualitativos imensuráveis para os usuários finais. Saiba mais aqui.

Case 3. Hospital Israelita Albert Einstein: No Brasil, alguns hospitais já entenderam as vantagens de investir em criatividade e inovação e conceberam ambientes orientados para a geração e valorização de ideias inovadoras entre os colaboradores. Com o objetivo de intensificar o desenvolvimento e implantação de estratégias inovadoras, foi criada a Diretoria de Inovação e Gestão do Conhecimento no Hospital Israelita Albert Einstein. A nova diretoria define a visão e a estratégia de inovação do Einstein e contribui para transformar ideias em novos produtos e serviços na área da saúde, que são disponibilizados para a melhoria do tratamento dos pacientes. Dentro da Diretoria de Inovação temos algumas áreas: Centro de Inovação Tecnológico, Innovation Lab, Desenvolvimento de Novos Serviços e Startup. A Diretoria é responsável por disseminar a cultura de inovação por meio de cursos de propriedade intelectual e inovação para os gestores, além de atividades como workshops de criatividade e Design Thinking, envolvendo profissionais de todos os níveis da organização. Há uma participação ativa dos colaboradores e o feedback é tipicamente positivo. Em 2014, apenas no primeiro ano da Diretoria, 37 propostas foram submetidas a análise, afirma José Claudio Terra, Diretor Executivo de Inovação e Gestão do Conhecimento do Einstein. Saiba mais aqui.

Case 4. Mayo Clinic, líder mundial em assistência médica: Os designers da IDEO também tiveram participação importante na criação do Centro para Inovação (CFI) da organização sem fins lucrativos líder mundial em assistência médica, pesquisa e educação, a Mayo Clinic. O estúdio de design e pesquisa observa os pacientes, entrevista famílias e conduz pesquisas de consumidores tradicionais, assim como também visualiza, modela, faz protótipos e testa possíveis soluções na prestação de cuidados em saúde, criando inovações. Dentro de seis anos, o pequeno laboratório de pesquisa se transformou em um grande Centro de Inovação para toda a organização. Saiba mais aqui.

Case 5. Corrine Ellsworth Beaumont, designer norte-americana: Quando se trata de prevenção, a abordagem do design thinking pode ajudar muito as pessoas a diagnosticarem uma doença antes mesmo de consultar um médico. Durante suas pesquisas sobre câncer de mama, a designer norte-americana Corrine Ellsworth Beaumont descobriu que haviam muitas informações confusas e contraditórias nos materiais de comunicação sobre o assunto, principalmente nas informações sobre nódulos malignos que podem surgir nos seios pois metade dos pacientes não sabiam como sentir um nódulo. Saiba mais aqui.


Facilitador