O Design tem impactado o mundo dos negócios e tornado a criatividade o mais importante ativo da economia para geração de inovação. Sendo assim, a criação de condições mínimas para o exercício da criatividade é pré-condição para a sobrevivência no mundo dos negócios.

Coexistimos com a predominância da instabilidade, da imprevisibilidade, da incerteza e das relações complexas entre os agentes econômicos e sociais. Não podemos resolver problemas complexos com a mesma lógica mecânica que os criaram e este impasse está nos impondo uma nova forma de pensar.

Pensando nesse contexto, desenhamos o Design Thinking Lab, um programa de consultoria que tem por objetivo implementar Centros Integrados de Inovação baseados no método prático criativo de Design Thinking. (DT). O DT proporciona uma transformação na organização, pois atua diretamente na imagem corporativa e no seu reposicionamento e ressignificação.

O DT opera em uma base de valores, de conhecimento e de modos de agir peculiares associados a pessoas que atuam com um mesmo propósito e com uma identidade de grupoEsse conjunto de qualidades torna a organização única e difícil de ser copiada e é expresso na tríade de valor [why – how – what] da empresa [antiga missão, visão, valores]

Modelos de negócios que se desenvolveram em uma economia industrial estão expirando devido a incompatibilidade com a era do conhecimento, baseada na nova ordem da economia criativa. O paradigma de projetar produtos funcionais para produção em série morreu com a Escola alemã de Ulm no final da década de 60. não se trata mais de projetar apenas produtos, comunicação visual e branding, mas sim, estratégias, visando novas práticas sociais por meio de modelos de negócios inovadores.

Estamos vivendo a ascensão da classe criativa, o empoderamento do sujeito criativo como agente catalisador de mudança nas organizações. O imperativo da inovação impõe novos questionamentos, não com relação a inovar ou não, mas sim com relação a como inovar. Inovação contínua depende de cultura. O estabelecimento de rotinas de forma a promover a geração, captura e gestão do conhecimento, representa um bom começo.

Criatividade exige coragem para deixar de lado a segurança. Cultivarmos nosso conhecimento do pensamento original e da resolução de problemas exige perder um pouco do controle sobre esse conhecimento, apenas o suficiente para obter um novo ângulo, uma nova perspectiva, um novo cenário. A originalidade exige muito trabalho e ousadiaInvocar a imaginação não é uma contradição à necessidade de disciplina. Criatividade e ordem devem reinar juntas para servir de guia ao cálculo.

Incorporar o Design Thinking a cultura organizacional significa combinar tarefas e relacionamentos na construção de padrões comportamentais criativos para a geração de rotinas de inovação. Tais rotinas impactam drasticamente na construção da gestão do processo de aprendizagem.

Precisamos empoderar as pessoas com confiança criativa em um mundo onde a estabilidade é uma fantasiao talento triunfa sobre a obediência, a imaginação vence o conhecimento e a empatia derrota a lógica.​


Facilitador